Corpo e Mente
Tonificação e Dispersão com Moxabustão

Tonificação e Dispersão com Moxabustão

Moxabustão – A Arte do Fogo - parte 5

 

A Moxabustão é uma modalidade médica tradicional dentro da Medicina Chinesa e com base nas descrições da literatura clássica chinesa, os efeitos terapêuticos da moxabustão estão associados com o tratamento de queixas relacionadas com condições de deficiência, além da prevenção de diferentes condições.

Diferentes estudos clínicos demonstraram que a prática da moxabustão é efetiva quando empregada para o tratamento de uma grande variedade de alterações como por exemplo vertigem de origem cervical, dismenorreia, leucopenia associada com quimioterapia, diferentes condições emergenciais, dentre uma grande quantidade de outras indicações. Mas, via de regra, o conhecimento básico de seus efeitos vem de um entendimento adequado de como ela atua de acordo com a visão da Medicina Chinesa, destacadamente sua capacidade de tonificar ou dispersar.

Infelizmente muitos profissionais da acupuntura acabam por reduzir o uso da moxabustão ao conceito estreito de tonificação, sem considerar a sua grande ação de mobilização do Qi que, de maneira muito eficaz, permite a observação de importantes efeitos de dispersão.

A base principal para a diferenciação da tonificação e da dispersão com diferentes recursos da Medicina Chinesa, em muitos casos, acaba recaindo sobre a intensidade e duração do estímulo e no caso da moxabustão estes também são fatores muito importantes e devem ser sempre considerados.

Mesmo que muitos praticantes contemporâneos ignore a diferenciação da tonificação e da dispersão com moxabustão desde os primórdios dos relatos escritos da Medicina Chinesa, já no Huang Di Nei Jing, mais especificamente no capítulo Bei Shu, 51 do Ling Shu, que tem como parte central as informações sobre os pontos Shu das Costas é possível encontrar a primeira base teórica e sugestão prática para a utilização da tonificação e da dispersão com Moxabustão.

“O Imperador Amarelo perguntou a Qi Bo dizendo: Desejo ouvir sobre os Shu (Transporte) dos cinco Órgãos, que surgem nas costas. Qi Bo disse: No centro das costas o Dashu (nome alternativo em referência ao ponto B11 [Dazhu]) localiza-se na extremidade do osso da lançadeira. O Feishu (em relação ao ponto B13) localiza-se no espaço da terceira vértebra. O Xinshu (em relação ao ponto B15) localiza-se no espaço da quinta vértebra. O Geshu (em relação ao ponto B17) localiza-se no espaço da sétima vértebra. O Ganshu (em relação ao ponto B18) localiza-se no espaço da nona vértebra. O Pishu (em relação ao ponto B20) localiza-se no espaço da décima primeira vértebra. O Shenshu (em relação ao ponto B23) localiza-se no espaço da décima quarta vértebra.

Todos estes pontos são mantidos em relação à coluna, afastando-se 3 cun mutuamente. Então, desejando obter e examinar, pressione suas localizações, separe a localização que responder com dor no interior, então libere-o.

A moxabustão é adequada, o agulhamento não é adequado. A exuberância do Qi leva a dispersão, a deficiência leva a tonificação. Para tonificar de acordo com o fogo, não assoprar o fogo e necessariamente deixar se extinguir sozinho; para dispersar de acordo com o fogo, assoprar vigorosamente o fogo para transmitir a Artemísia, necessariamente extinguir o fogo”.

O Dr. Wang Le Ting, famoso praticante do século XX, também defendia a utilização da referência do Ling Shu, destacando que a tonificação se trata de deixar que a moxa queime sozinha. Embora o calor seja fraco, ele é persistente e substancial. A dispersão se trata de acelerar a queima por meio do assopro. Embora o calor seja intenso, será temporário e curto.

Para a obtenção de resultados clínicos ainda melhores, Dr. Wang Le Ting e seus discípulos, através da vasta experiência clínica acumulada, detalhavam um pouco mais os métodos como a seguir:

“Se a técnica de tonificar for utilizada, não utilize a boca para assoprar após acender o cone. Apenas espere que ele se consuma sozinho. Então pressione o ponto com a mão para concentrar o Qi e tornar o calor persistente. Se a técnica de dispersão for utilizada, assopre o cone rapidamente e espere que se queime, porém não pressione o ponto, assim o Qi perverso é disperso externamente”.

Quando da utilização dos populares bastões de moxa para o tratamento, por exemplo, a mesma abordagem para diferenciar a tonificação e dispersão pode ser aplicada, onde a aplicação de bastões com uma distância ligeiramente maior da pele, sem assoprar, de forma moderada e prolongada gera efeitos de tonificação; enquanto que a aplicação de calor mais intenso, assoprando e ativando a ponta incandescente do bastão, de forma mais próxima da pele e por períodos mais curtos gera efeitos de dispersão. Ou seja, neste caso o foco acaba sendo a intensidade do estímulo.

Ps.: Parte deste material vem diretamente do livro do autor.

Participe do grupo do Jornal O Legado no Facebook

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380

Autoria

Texto e fotos colaboração de Dr. Reginaldo de Carvalho Silva Filho - Diretor Geral da Escola Brasileira de Medicina Chinesa - Professor Associado da Federação Mundial de Medicina Chinesa (WFCMS) - www.ebramec.com.br - Janeiro 2016

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo