Corpo e Mente
É impossível ser feliz sozinho?

É impossível ser feliz sozinho?


O amor nos tempos atuais



Na voz de Tom Jobim, fundamental é mesmo o amor. Os casais das décadas passadas casavam-se mais cedo, tinha mais filhos e separavam-se mais dificilmente. Hoje, algumas pessoas afirmam que o amor se tornou banalizado, dito da boca para fora ou sem significado algum.

O mês de junho é marcado pelos apaixonados, que comemoram a relação no dia 12. Pensando nisso, o coach João Alexandre Borba aborda alguns temas referentes às relações amorosas que ainda estão presentes na sociedade atual.

Na visão do coach, muitas pessoas são infelizes consigo mesmas e buscam um relacionamento como fuga para seus reais problemas. “Essa ansiedade em encontrar alguém para dividir uma vida reflete diversos problemas ao mesmo tempo. Um deles é a angústia em não conseguir ficar só consigo mesmo. Muitas pessoas não aprenderam a se apaixonarem por elas mesmas e a serem para sim mesmas, boas companhias”.

 A busca por um relacionamento hoje em dia se dá muito mais pela exibição nas redes sociais do que propriamente por um desejo de encontrar um parceiro. “A internet tornou o termo mais difundido e com isso muitos têm dito “eu te amo” como um bom dia”, afirma João Alexandre. O termo é utilizado atualmente como uma maneira de acelerar o relacionamento, levando-o a uma falsa segurança de que assim o compromisso está se firmando.

O amor se reflete em pequenas ações do cotidiano. Engana-se quem pensa que um relacionamento sobrevive de grandes demonstrações de amor. Uma relação duradoura sobrevive de pequenos e profundos gestos. É importante conhecer seu parceiro e ver o que é essencial para ele. Muitas vezes o que agrada o outro, não necessariamente me agradaria.

Sendo assim, para o coach, “o relacionamento é uma parceria e é preciso muito diálogo para torná-lo leve e promissor. Amar é oferecer ao outro o seu melhor e aceitar o próximo com seus defeitos e qualidades. É entender que o outro é um ser único e especial. É claro que as diferenças sempre existirão, mas quando o amor está presente, fica mais fácil superá-las”, finaliza.

Participe do grupo do Jornal O Legado no Facebook - clique aqui

 Você já leu a edição deste mês do Jornal O Legado? Clique aqui para ler

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380

Autoria

Texto de Verônica Pacheco – Toda Com. – Fonte: João Alexandre Borba - Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo – Jornal O Legado - Junho 2016

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo