Corpo e Mente
Ventosaterapia

Ventosaterapia



A terapêutica com aplicação de ventosa ou, simplesmente, ventosaterapia é uma antiga prática tradicional da Medicina Chinesa, onde uma estrutura específica é posicionada sobre a pele do paciente e produz efeitos terapêuticos através da criação de um vácuo no interior desta estrutura ou instrumento, de modo que a pele e tecidos superficiais sejam sugados e mantidos no interior do corpo.

A prática da ventosaterapia era, e ainda é, extremamente popular e comum nos países asiáticos. Deve ser acrescentado que a ventosaterapia vem sendo praticada por todas as pessoas, desde aquelas sem a formação específica nas áreas da saúde como aquelas que fizeram a devida graduação ou especialização na área, pela simplicidade de aplicação permitindo a obtenção de excelentes resultados.

A prática da ventosaterapia requer a utilização de instrumentos adequados para a geração do vácuo em seu interior e a consequente sucção da pele e tecidos subjacentes do paciente, para que o estímulo possa ser gerado de maneira adequada.

Os primeiros tipos de ventosa a serem empregados eram feitos a partir de chifres de animais, passando por outros materiais como cerâmica, bambu e vidro, onde estes dois últimos estão dentre os mais utilizados até os dias atuais. Outros materiais foram empregados em alguns momentos na história, porém são raramente empregados na atualidade, como ferro e cobre.

Apesar de ser uma modalidade terapêutica bastante antiga e tradicional, sendo aplicada há milhares de anos em diferentes culturas, recentemente ela atraiu muita atenção por sua utilização no corpo do maior campeão olímpico de todos os tempos, o nadador americano Michael Phelps, onde é possível notar diversas marcas escuras e circulares, principalmente na região das costas e ombros.

Phelps se utiliza com regularidade dos tratamentos com ventosa como pode ser visto até mesmo em suas postagens no instagram.

É possível notar em Phelps marcas por toda a parte superior das costas, sendo que as marcas estão mais escuras no lado direito, remetendo a um possível acúmulo maior de Qi e estase de Sangue, seja por um excesso de treino, seja por uma lesão crônica, seja por real necessidade de tratamento com dores. As possibilidades para a aplicação da Ventosaterpia são muitas e podem ser ainda mais ampliadas de acordo com a capacidade e habilidade do profissional que está utilizando deste importante recurso.

Ao contrário que muitos pensam essa técnica não é uma moda atual, os atletas chineses utilizaram nas Olimpíadas de Pequim, em 2008. Muitos outros esportistas vêm demonstrando serem adeptos ao uso, os ginastas brasileiros, Diego Hypolito e Arthur Nory, medalhistas olímpicos do Rio 2016, exibiram as manchas nas redes sociais durante as preparações e treinamentos no passado.

Nos atletas é possível destacar que a aplicação de Ventosaterapia permite uma recuperação mais rápida durante os treinamentos em alto nível, assim como melhora de dores e desconfortos. Também é possível a aplicação pré-treino ou pré-competição com objetivo de melhorar a preparação do corpo, da musculatura, para um melhor rendimento, ao potencializar o aporte sanguíneo e, consequentemente, de nutrientes.

Dra. Zhao Juan, minha amiga e membro do corpo docente da EBRAMEC, Mestre em Acupuntura pela Universidade de Medicina Chinesa de ChengDu, recorda um ditado chinês que indica que a combinação de Acupuntura e Ventosa permite que a doença seja removida na metade do tempo. Ela ainda menciona que a Ventosa também é aplicada na China como modalidade preventiva em hospitais como por exemplo para prevenção de resfriados quando o clima está mais frio.

A Ventosaterapia, como parte do ramo da Acupuntura e Moxabustão, dentro do importante sistema médico da Medicina Chinesa, está diretamente associada com as chamadas Teorias de Base da Medicina Chinesa. Desta forma para o bom entendimento do seu mecanismo de ação e aplicação clínica o profissional da ventosaterapia deve conhecer estas teorias.

Uma formação adequada em Medicina Chinesa, com destaque para o ramo da Acupuntura e Moxabustão, é muito importante para que o profissional possa obter o máximo de efeitos com a aplicação da Ventosaterapia além da simples noção de geração de pressão negativa

Ps.: Parte deste material vem diretamente do próximo livro do autor: Ventosaterapia



Participe do grupo do Jornal O Legado no Facebook - clique aqui


Você já leu a edição deste mês do Jornal O Legado? Clique aqui para ler

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380

Autoria

Texto e fotos colaboração de Dr. Reginaldo de Carvalho Silva Filho - Diretor Geral da Escola - Brasileira de Medicina Chinesa - Professor Associado da Federação Mundial de Medicina Chinesa (WFCMS) - www.ebramec.com.br - Setembro 2016

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo