Corpo e Mente
Saúde emocional: atenção aos sintomas!

Saúde emocional: atenção aos sintomas!



Nesta oportunidade quero falar com vocês sobre os distúrbios emocionais, um dano moderno à saúde humana, que se intensificou no final do século XX e que mais cresce nesses anos 2000.  De uma extensa lista, as doenças de fundo emocional que mais afligem a população mundial dia após dia são conhecidas como depressão, síndrome do pânico e transtorno obsessivo compulsivo.


Mas por que nos dias de hoje somos tomados por essas doenças? Qual é a razão disso?
Além de uma série de condições emocionais, que alteram nosso modo de ver a vida, há outros fatores que devem ser considerados, que é o ambiental e a deficiência nutricional, estudados pelo nosso Manual do Proprietário em toxicologia ambiental e em nutrologia. Sim, as síndromes emocionais são modernas porque o estilo de vida mudou e mais ainda a cadeia alimentar foi alterada em cerca de 50 anos pra cá, começando pela agricultura que usa uma substância ativa chamada glifosato, que impede que o vegetal sintetize dois aminoácidos (partes de proteínas) - triptofano e fenilalanina - e, no caso, sem um deles, o triptofano, não se consegue fazer a serotonina (neurotransmissor da paz e do equilíbrio) e sem a felilalanina não se faz a dopamina. Isso sem falar em outros processos metabólicos que ocorrem no organismo como a diminuição da transformação da serotonina em melatonina, o hormônio que controla o sono e a vigília, ou até na falta dos neurotransmissores, que deixa aberta a porta para a manifestação dessas doenças.

Como isso acontece em nosso corpo é outro mecanismo e para entendê-lo é preciso também conhecer os sintomas mais constantes que acometem esses pacientes por déficits desses dois neurotransmissores – a serotonina e a dopamina. E mais considerável ainda é saber que ao sentir a tristeza e a angústia, os estágios a serem relatados posteriormente já estão avançados e o paciente já está cometido por sensações como nó na garganta e choro sem razão.

Como toda doença tem um ponto de partida, há quatro sintomas a serem levados em conta. Anote-os e preste mais atenção daqui em diante...

Um dos primeiros sinais de depressão, pânico ou TOC é a dificuldade de concentração, ocasionada pelo déficit de serotonina e sinalizado pela mente que voa ou por uma leitura incompreendida de uma página inteira de um livro ou até por pegar um caminho errado ao dirigir.

O segundo sintoma, também gerado pelo déficit de serotonina, é a irritabilidade alterada, que acontece quando coisas minúsculas que não incomodavam passam a incomodar.

Em terceiro lugar na nossa lista está qualquer alteração no sono. Isso pode ser notado em uma pessoa que ao se deitar pegava no sono em cinco minutos e passa a levar 20, ou então em uma pessoa que dormia a noite inteire e passa a acordar 2 ou 3 vezes no meio da noite, ou ainda em quem acordava em determinada hora e hoje quer ficar mais tempo na cama.

O quarto fator a ser notado é a diminuição da libido, a importância da sexualidade na nossa vida.

Só depois de manifestados esses quatro fatores, gerados por alterações orgânicas, surge a característica básica de cada uma dessas síndromes, ou seja, os sintomas a que estamos habituados, que na depressão são a angústia, tristeza, melancolia e choro; no transtorno obsessivo compulsivo, são manias frequentes como lavar as mãos centenas de vezes ao dia, sair de casa e voltar pra ver se fechou a porta, travar o carro e depois ir de porta em porta para ver se está travado e até a mania de limpeza 7 dias da semana por 24 horas; na síndrome do pânico, há medos como o de entrar no elevador, não conseguir mais dirigir ou até viajar de avião, entre outros.

Diante a esses sintomas, o tratamento clínico oferecido hoje pela medicina convencional é feito basicamente por drogas, mas que poderia ser feito de acordo com cada queixa do paciente antes mesmo de a doença se manifestar. O ideal é dar matéria-prima para que haja uma produção natural de neurotransmissores para que a natureza faça por si sua função. Há substâncias inteligentes a serem usadas pela bioquímica médica – 5hidroxitriptofano, magnésio, piridoxina (vitamina B6)... - e ao corrigir a máquina (humana), há um reequilíbrio natural e a produção de neurotransmissores ocorre sozinho, como tem que ser.

 Quanto mais conseguirmos controlar essas emoções, prestando atenção em nossas atitudes e alterações no organismo ligadas ao sono, à irritação, à concentração e à libido, conseguimos evitar a instalação desses distúrbios emocionais e, consequentemente, evitar o uso de medicamentos sem necessidade e permitir com a ajuda da bioquímica médica que haja a suplementação exata para a produção desses mecanismos tão essenciais para nosso bem-estar.


Participe do grupo do Jornal O Legado no Facebook - clique aqui

Você já leu a edição deste mês do Jornal O Legado? Clique aqui para ler

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380

Autoria

Texto de Dr. Edmond Saab Jr - cardiologista, nutrólogo e ortomolecular. Autor do livro “Manual do Proprietário” – Diretor do CIMP - Centro Integrado de Medicina Preventiva - www.cimpsaude.com - (11) 3284-1366 e (19) 3876-0321. - Janeiro 2018

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
  • Perfil
  • Público alvo
  • Publicidade
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo