Corpo e Mente
Reiki e Meditação - Leia e pratique, mesmo não sendo Reikiano

Reiki e Meditação - Leia e pratique, mesmo não sendo Reikiano

Meditação Andando
Podemos aplicar Reiki no planeta Terra pelos pés enquanto meditamos andando. Essa Técnica chama-se Kinhin - A meditação andando unida com a mentalização do Reiki e seus símbolos e sons.
Essa prática de meditação é divulgada em todo o planeta pelo iluminado monge Budista compassivo Thich Nhat Hanh. É uma técnica muito prazerosa que traz a saúde do corpo, da mente e das emoções. Basicamente Kinhin significa: só andar. Eu é que acrescentei em meu Kinhin a prática Reiki.
Escolha um local agradável onde você possa ficar sozinho ou junto de pessoas, silenciosamente.
Anda-se não para chegar a algum lugar, mas sim pelo prazer do momento, da respiração consciente, do contato com a Terra.
No início da caminhada, deixe de lado suas preocupações, ansiedades, a correria do cotidiano e mentalize os símbolos e mantram do Reiki algumas vezes. Permita-se estar no momento. Deixe tudo agora como está. Aquiete a mente e confie no fluxo à vida. Se seus pensamentos não silenciarem simplesmente os observe sem nenhuma identificação ou julgamento. Não adianta brigar com a mente, adianta sim percebê-la. E, claro, aquietá-la é uma conseqüência da prática.
Caminhe devagar, coordenando os passos com a respiração. Por exemplo: dê três passos ao inspirar e três para expirar.
Podemos meditar assim:
• Inspirando (três passos): mentalizar “paz na Terra”; ou saúdo o planeta.
• Expirando (três passos): mentalizar “paz em mim”, ou eu, o planeta e o universo somos um.
Assim estamos enviando felicidade a todos os seres vivos, desejando a paz e trabalhando para ela. Crie suas mentalizações, mas lembre-se que todas as mentalizações são métodos que com o tempo devem ser abandonados. Você não deve se apegar a métodos, o seu objetivo nessas práticas meditativas é reconhecer o silêncio e conscientizar-se do aqui-agora. Enquanto andar, esboce um sorriso para si e para o planeta. Sinta que seus pés massageiam a Terra.
Deixe que a paz e a serenidade da Mãe Terra o toquem e vice-versa.
Olhe contemplando todas as coisas, por exemplo, uma árvore. Abrace-a sem julgar, sem pensar. Toque-a gentilmente, sem julgar, sem pensar. Olhe-a de perto, sem julgar, sem pensar.
Depois volte a atenção à sua respiração e a seus passos e comece a caminhar de novo.

O Mestre Moriyama Roshi nos ensina:
“Então, nosso andar Zen é com os pés. É só andar. Andamos cem por cento. Nossa mente nem pensa, nem não pensa, apenas caminha também. Ela não está mais fugindo para o passado, ou viajando ao futuro. Quando andamos assim, não temos pressa, pois nós já chegamos! Lembre-se, o primeiro passo já é o último!”.
Todos os dias quando você acorda, tem 24 horas novinhas para se viver. É uma benção preciosa que você deve ficar consciente.

Namo Amida Butso – refúgio e paz – aprendendo a confiar

Outra prática importantíssima de meditação é a utilização do mantra Namo Amida Butso para encontrarmos um refúgio de paz dentro de nós mesmos em todos os momentos da vida, mais principalmente na dor e sofrimento.
O mantra Namo Amida Butsu é o mantra do refúgio, da confiança na existência.
Namo significa entregar, soltar, relaxar ou “refugiar-se em”, além de nos convidar a confiarmos na existência. A “soltar nas mãos de Deus” como ensinam os cristãos. Refugiar-se ou “confiar-se” em japonês é Kie Suru que é interpretado pelo iluminado Hiroyu Ki Itsuki como: “Refugiar-se implica não só ter fé, mas também abandonar cálculos mesquinhos e entregar o seu ser a algo ou alguém.”
A palavra “Namu” tem origem na Índia, do termo sânscrito namas que expressa confiança. Hoje na Índia se utiliza a saudação Namaste como forma de respeito. “Te” significa você.
“Namas” também tem sua origem na Índia antiga que significa luz ou vida infinita, a eternidade do ser. Chuva de amor e compaixão caindo de um céu sem nuvens.
“Amida” aqui significa a compaixão de todos os iluminados, o não se corromper por valores como cobiça, inveja, ódio, agressividade, etc. “Amida” fica sobre a flor de lótus que nasce do lodo, da sujeira, mas não se mistura com a mesma.
“Butsu” é Buda que aqui significa a essência de todos os seres vivos, de tudo do Universo visível e invisível. "Buda" são todos os despertos para essa realidade. Esse mantra pode e deve ser repetido em todos os momentos da vida. Há, no Japão, centenas de tratados do poder milagroso desse som de felicidade e paz.
Todos os Budas ensinam que existe o sofrimento. Não há como negá-lo assim como também não é possível negar que há a felicidade. Existem momentos para cada um dos dois sentimentos na vida. Segundo os Hindus, hoje estamos na Kali-Yuga, Idade de Ferro, aonde ¾ das leis de ética, justiça, equilíbrio planetário, não são respeitadas, aonde o homem moderno causa males à natureza, aonde as dificuldades no cotidiano assombram sem parar a maior parte das pessoas: doenças, miséria, injustiça, corrupção, absoluta incompetência dos “dirigentes” políticos, velhice, muitas vezes sem saúde e condição financeira equilibrada, dificuldades nos envolvimentos afetivos, emocionais e profissionais, etc. Todos têm suas queixas e dores. 
Também se deve lembrar da ansiedade, depressão e novas doenças que afligem a humanidade. Muitas previdências de saúde e hospitais que deveriam cuidar do próximo tratam seus pacientes como “fregueses” e não como humanos. O “homem” (um tipo de homem, não todos) está parasitando a natureza e olhando somente na direção do dinheiro. Muitos se vendem por qualquer dinheirinho, outros têm perda de reputação ou emprego e com isso o “dar-se” conta que não se tem o controle de tudo como se gostaria (quanto você tem de controle sobre sua vida e seu mundo? Qual é ou quanto é seu livre-arbítrio?).
O mundo ocidental te faz crer que você tem poder absoluto sobre tudo: “faça teu melhor”, “de o máximo”, “sucesso não ocorre por acaso” ou “sucesso é só ser feliz”. Exigem de ti o impossível. Teu próprio “governo” não só é absolutamente incompetente como te cobra tributos injustos, imaginando que você tem todo o poder do mundo para sustentá-lo infinitamente. É-nos ensinado desde muito cedo que “você pode tudo”.
Os Budas apontam em outra direção, existe um limite em nosso poder pessoal e devemos confiar num poder universal, conhecido por tariki, o outro poder. É o oposto de Poder Pessoal.
Ensina o magnífico escritor e budista Hiroyuki Itsuki:
"Neste nosso mundo terrível, só o que conta é que você mentalmente junte as mãos em sinal de gratidão e dê graças por estar vivo. Faça isso todo dia; faça isso para manter-se alerta e aberto, quer esteja nas garras de um terrível sofrimento ou sentindo uma alegria sem limites:".
Tariki, o Outro Poder é a crença central do budismo Terra Pura. O Outro Poder deriva da autêntica e total aceitação da realidade que está dentro e em volta de nós.
Não é uma filosofia de passividade e irresponsabilidade, mas de atividade espiritual radical, de revolução pessoal e existencial. Sua essência é a força espontânea e maravilhosa que nos dá a vontade de agir, de “fazer o que o homem pode fazer e então esperar pela vontade do céu". É importante saber que o tariki é um poder que flui do entendimento fundamental de que, nas vidas que levamos, já somos iluminados.
Essa Iluminação não chega facilmente. Nasce da indesejável compreensão de que, apesar de nossos protestos, somos seres insignificantes, imperfeitos, nascidos para o inferno de sofrimento que define a vida humana. Mas, nesse inferno, às vezes encontramos pequenas alegrias, amizade, os atos de bondade de estranhos e o milagre do amor. Passamos por momentos em que estamos cheios de coragem, em que o mundo cintila com sonhos e esperanças. Há momentos até em que sentimos profunda gratidão por termos nascido.
Esses momentos são uns paraísos. Mas o paraíso não é outro reino; é aqui, bem no meio do inferno deste mundo. Tariki, um poder que transcende distinções teológicas, nos proporciona esses momentos. Nas incertezas infinitas da vida contemporânea, o tariki nos confere flexibilidade de espírito, energia para sentirmos júbilo e o alívio da paz.
De toda forma pratique o mantra Namo Amida Butso quando desejar e investigue por si mesmo os seus resultados.

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380

Autoria

Texto colaboração de Otávio Leal, extraído de seu livro Estilos de Reiki - xamânico, japonês, tibetano e cristão (11) 5055-2800

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo