Corpo e Mente
Rapidinhas
NOVO TELEFONE DO JORNAL O LEGADO (11) 4418-6150
NOVO TELEFONE DO JORNAL O LEGADO (11) 4418-6150
NOVO TELEFONE DO JORNAL O LEGADO (11) 4418-6150
NOVO TELEFONE DO JORNAL O LEGADO (11) 4418-6150
Acupuntura na Era do Gelo?

Acupuntura na Era do Gelo?

 

Oetzi – O Homem do Gelo

Acupuntura na Era do Gelo?

 

 

                No ano de 1991, o mundo científico sofreu um grande abalo com o advento da descoberta de um grupo de esquiadores que se depararam com uma criatura assustadora encravada no gelo e na neve. Esta criatura foi retirada do gelo por especialistas e através de diversos estudos, estes especialistas puderam identificar esta criatura como sendo um homem que teria vivido cerca de 5.200 anos atrás, seu corpo fora mumificado pela baixíssima temperatura e se tornou a múmia mais antiga e melhor preservada de toda a Europa.

                Esta múmia foi posteriormente denominada Oetzi, porém desde então ficou mais conhecida mundialmente como sendo o Homem do Gelo. O Homem do Gelo foi chamado de Oetzi com relação ao vale Otz onde ele foi encontrado, na região de fronteira entre os países da Áustria e da Itália. O corpo da múmia ficou impressionantemente bem preservado, da mesma forma que suas roupas, ferramentas e armas, o que possibilitou diversos estudos e descobertas sobre o modo de vida deste homem em sua época.

                Nos últimos dez anos, cientistas têm examinado completa e minuciosamente todos os restos da múmia, aprendendo muito sobre a vida diária dos antigos habitantes do continente da Europa.

                Com relação aos nossos estudos da Medicina Chinesa de modo geral e da Acupuntura de modo mais específico, temos que uma das mais impressionantes descobertas no corpo do Homem do Gelo foi um total de quarenta e sete marcas pelo corpo, que indicavam um complexo sistema de tatuagens, formado por quinze grupos, estando localizadas ao longo das costas, joelho direito e tornozelo esquerdo de Oetzi. 

                Enquanto que a maioria das tatuagens feitas nas pessoas atualmente e até mesmo na antiguidade, são de natureza puramente ornamental e estética, as tatuagens encontradas no corpo de Oetzi estavam dispostas em forma de simples listas ou cruzes em locais bem determinados. Estas tatuagens também foram encontradas em locais que normalmente estariam cobertos por pêlos ou roupas, descartando a possibilidade de serem tatuagens feitas para serem vistas como ornamentos. A partir do fato de que outros tipos de tatuagens de caráter não ornamental já haviam sido previamente encontradas em locais similares em múmias encontradas na região da Sibéria e da América do Sul, alguns pesquisadores especularam que as linhas e cruzes no corpo de Oetzi possuíam uma importância ou relevância terapêutica.

                Se é que existe algum, qual significado possuíam estas tatuagens descartando o caráter ornamental?

Um grupo de cientistas da Universidade de Graz na Áustria iniciaram uma tentativa de responder esta questão teorizando uma possível relação entre as tatuagens no corpo de Oetzi e os pontos tradicionais de acupuntura, como indicados pela tradição chinesa.

Os achados destes cientistas, que foram primeiramente publicados no The Lancet em 1999 e atualizados na Discovery magazine no início de 2000, apontavam no sentido de que a acupuntura, ou pelo menos um sistema de tratamento acupuntural similar a este, poderia ter sido empregada na Europa central bem mais que 2.000 anos antes que se acreditava previamente.            

                Esta teoria pode vir a causar um certo incomodo perante a maioria das pessoas, pois, até então, acreditava-se que a acupuntura teria sido originada na China há cerca de 3.000 ou 4.000 anos atrás.

Porém graças a Oetzi, alguns cientistas acreditam que a acupuntura ou, pelo menos, um tipo pré-histórico te tratamento acupuntural, já era praticado há cerca de 5.200 anos atrás, o que seria muito tempo antes do que se acreditava na China.

                O time de cientistas pesquisadores que estudaram as diversas tatuagens no corpo do Homem do Gelo, era liderado pelos doutores Leopold Dorfer e Max Moser, e primeiramente tiveram que calcular o cun (polegada proporcional a cada pessoa) da múmia através de medidas do fêmur, tíbia e rádio. Eles então converteram as medidas das tatuagens em cun e sobrepuseram as localizações das tatuagens em representações topográficas dos pontos chineses de acupuntura.

                Os cientistas responsáveis pelas pesquisas convidaram então acupunturistas experientes de três sociedades de acupuntura, para que examinassem então as localizações das tatuagens e relacionassem estas com os pontos tradicionais de acupuntura. Na opinião destes acupunturistas, nove das quinze tatuagens poderiam ser identificadas como estando localizadas diretamente sobre pontos tradicionais de acupuntura ou no máximo a seis milímetros destes. Além destas nove tatuagens, duas outras mais foram localizadas no trajeto de um Canal Principal. Uma tatuagem foi considerada como tendo sido empregada como ponto local de tratamento. E as três tatuagens restantes estavam situadas entre seis e treze milímetros de distância dos pontos tradicional de acupuntura mais próximo.

Tabela 1: Localização do grupo de tatuagens no homem do gelo, Oetzi, e suas relações com os pontos clássicos de acupuntura:

 

Localização e formato
da tatuagem

Ponto de
acupuntura

Distância até o ponto de acupuntura

 

Costas do lado esquerdo

4 linhas superiores

B21

4mm

3 linhas superiores

B22

3mm

3 linhas inferiores

B23

0

4 linhas superiores

B25

0

Costas do lado direito

4 linhas

B24

13mm

Perna direita

Cruz no joelho, medial

F8

0

3 linhas medial

R7 e BA6

0

3linhas frontal

entre VB41 e E40

-

3 linhas superiores, lateral

no Canal Principal da Vesícula Biliar

-

2 linhas, lateral

VB37

7mm

3 linhas inferiores, lateral

VB38

6mm

Perna esquerda

7 linhas, dorsal

B56

2mm

3 linhas, dorsal

entre B58 e B59

-

1 linha, dorsal

B59

0

Cruz no maléolo lateral

B60

4mm

 

Exames de Tomografia Computadorizada realizados no corpo de Oetzi, revelaram que o Homem do Gelo sofreu de artrose na região lombar da coluna, além das regiões dos joelhos e tornozelos. Através dos estudos dos pesquisadores, foi evidenciado que pontos de acupuntura normalmente empregados para o tratamento desta condição do Homem do Gelo, coincidem com aquelas tatuagens encontradas na pele do homem do gelo. Nove das quinze tatuagens da múmia estão localizadas no Canal Principal da Bexiga, um Canal Principal normalmente associado com o tratamento das dores nas costas. De fato, uma das tatuagens em formato de duas cruzes na múmia está localizada na região do tornozelo esquerdo no ponto B60, que é considerado por muitos textos como ponto mestre para a dor nas costas.

                Os pesquisadores destacaram que o modo não aleatório com que os pontos foram selecionados, de modo que formavam grupos de pontos correspondentes, parece especialmente intrigante. A partir do ponto de vista de um acupunturista, a combinação dos pontos selecionados representa um regimento terapêutico muito significante.

                Análises realizadas por médicos legistas na múmia, também revelaram que seus intestinos estavam cheios com ovos de lombrigas, que podem causar dor abdominal severa. Cinco outras tatuagens localizadas no corpo do homem do gelo correspondem com pontos tradicionais de acupuntura localizados nos Canais Principais da Vesícula Biliar, Baço-pâncreas e Fígado, que são tradicionalmente utilizados para tratar patologias relacionadas com o estômago.

                Os cientistas ainda acrescentaram que, consideradas em conjunto, as tatuagens poderiam ser vistas como um relatório médico da Idade do Gelo, ou possivelmente como um guia para tratamento pessoal demarcando onde se deveria agulhar quando ocorresse dor.

                Podemos dizer que é certo que nem todas as tatuagens coincidem precisamente com pontos tradicionais de acupuntura conhecidos até o momento, porém apenas uma das tatuagens foi localizada a mais de 15 milímetros do ponto tradicional de acupuntura mais próximo. Os cientistas teorizaram que estas diferenças na localização poderiam ser explicadas por movimentos forçados da pele do homem do gelo relativos às estruturas subcutâneas que podem ter ocorrido no decorrer dos 5.000 anos em que Oetzi ficou preso no gelo. Os cientistas também admitiriam que algumas das tatuagens podem estar parcialmente fora de simetria de acordo com a localização no corpo retorcido.

                Apesar destas pequenas variáveis, a descoberta destas tatuagens terapêuticas na múmia que morreu mais de 2.000 anos antes do surgimento da acupuntura como ela é conhecida hoje em dia, levanta algumas questões muito interessantes como onde este tipo tratamento teria se originado e por quanto tempo ele tem sido praticado.

                Os cientistas concluíram seus relatórios dizendo que as localizações das tatuagens são similares aos pontos tradicionais de acupuntura empregados para estados patológicos específicos na acupuntura da Medicina Chinesa e tratamento acupuntural moderno de modo geral. Esta afirmação sugere a possibilidade de a acupuntura ter sido na verdade originada no continente europeu há pelo menos 2.000 anos antes que se havia previamente reconhecido.

                Através dos diversos estudos realizados historicamente em diversas múmias podemos acreditar que muitas culturas pelo mundo todo praticavam uma forma de terapia com perfurações pelo corpo desde a época em que Oetzi estava vivo, porém apenas os antigos terapeutas chineses formalizaram e conseguiram guardar todos estes conhecimentos que passaram de geração em geração até os dias atuais, com pequenas percas no decorrer dos tempos.

                Para finalizar e após as diversas pesquisas realizadas no mundo todo, podemos acreditar que parece ser muito provável que a acupuntura ou ao menos algo parecido, tenha surgido simultaneamente em diferentes tipos de cultura pelo mundo, indicando que populações pré-históricas podem ter tido um profundo, e possivelmente intuitivo, conhecimento sobre o corpo humano.

 

Fonte: Baseado em: Ice Age Acupuncture? Study of Mummified Body Raises Questions about Practice's Origin. Acupuncture Today. June, 2000.

Texto originalmente publicado na Revista Brasileira de Medicina Chinesa gentilmente cedido por seu editor Dr. Reginaldo Filho, Fundador e Presidente da Faculdade EBRAMEC - Acupunturista e Profissional da Medicina Chinesa - Doutorando em Acupuntura pela Universidade de Medicina Chinesa de Shandong - Vice-Presidente e membro de diferentes comitês da Federação Mundial de Medicina Chinesa - www.ebramec.com.br - Setembro 2017

 

 


Participe do grupo do Jornal O Legado no Facebook - clique aqui

Você já leu a edição deste mês do Jornal O Legado? Clique aqui para ler

© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4418-6150

Autoria

Texto de: Dr. Reginaldo Filho, Fundador e Presidente da Faculdade EBRAMEC - www.ebramec.com.br - Setembro

Artigos Relacionados

Contato

+55 11 4411-6380

Formulário de contato

Marketing
Corpo e Mente
  • Promovendo o
  • bem estar
  • para todos
Informativo